sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Feliz Natal e um ano novo maravilhoso!

Pessoal,

Segue minha mensagem de NATAL e ANO NOVO.

Espero escrever mais o ano que vem...rss

Beijos

_____________________________________________________________________________

Então é natal...

E...logo mais será Ano Novo!!!

É tempo de paz!!!

É tempo de tréguas...   

É um tempo mágico, cheio de encantamento...

Lembranças doces da infância ... da minha infância querida...

Saudades dos que foram...

É tempo de pensar na vida, no futuro...e porque não no passado, como balizador do nosso presente e do nosso futuro...

É tempo de rever valores, atitudes...

É tempo de ponderar sobre a vida...

É tempo de baixar a guarda e acreditar no bem e nas pessoas...

É tempo de pensar o que queremos para o próximo ano, para nós e para os que nos cercam...e porque não para o mundo...

É tempo de alegria, mesmo que haja alguns motivos para tristeza, pois a vida é repleta de altos e baixos...

É tempo de perdão...

É tempo de harmonia...

E O MEU DESEJO PARA CADA UM DE NÓS E PORQUE NÃO PARA O MUNDO TODO...QUE ESSE TEMPO SEJA ETERNIZADO POR TODOS OS 365 DIAS DE TODOS OS ANOS DE NOSSAS VIDAS....E QUE NOSSAS VIDAS SEJAM LONGAS E FELIZES....

E QUE TENHAMOS CONSCIÊNCIA QUE A VIDA COMEÇA A CADA DIA...E QUE TUDO PODE SER MELHOR, DIFERENTE... COM UM NOVO AMANHECER.

FELIZ NATAL E UM ÓTIMO ANO NOVO!

________________________________________________________________________________

Beijos Roberta

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Fim da licença maternidade. A EQUILIBRISTA.


Olá,

Acho que devo começar essa postagem dizendo que a mulher (a grande maioria) desenvolve vários papéis no dia a dia. A mulher, a mãe, a profissional, a amiga, a filha, a esposa, a bela, a sedutora e por aí vai.

Não que esteja reclamando (apenas constatando), mas a grande verdade é que a mulher só acumulou funções.

Lembro que uma vez eu estava vendo Saia Justa na GNT e o tema era justamente esse e elas faziam um comparativo de todos os papéis da mulher com vários pratos sendo equilibrados.

Achei perfeita a analogia. A mulher é (ou tem que ser) uma grande equilibrista de pratos.


A conclusão do debate no programa foi que vez ou outra os pratos se esbarram, vez ou outra um prato ou outro fica perto de cair e se espatifar. Algumas vezes um ou outro ficam em pedaços, mas é nesse momento que entram as duas maiores qualidades da mulher, a multifuncionalidade e a capacidade de renascer das cinzas. E os pratos? Ah, esses podem ser renovados, recolocados, colados, substituídos, caso algo saia fora do planejado por nós.

Ainda bem que somos fortes e aguentamos o tranco.

Bem, mas voltando, nem preciso dizer que o término da licença maternidade é um grande conflito para mulher que é mãe e profissional.

Nesse momento (término da licença), a mulher deve decidir e/ou fazer algumas escolhas. Já digo de início que qualquer decisão/escolha tem seu lado positivo e seu lado negativo. Aliás, como tudo na vida.

Então, acredito que o segredo é decidir/escolher as coisas levando em conta: i) sua natureza; ii) suas possibilidades; iii) seu momento; iv) seus princípios; v) seus objetivos, dentre outros pontos.

No meu caso, desde que fiquei grávida, parar de trabalhar nunca foi uma opção, por vários motivos, o principal deles é que trabalhar faz parte de mim. Não consigo me ver sem trabalhar. Claro que se por alguma razão meu filho precisasse, a questão mudaria de figura, pelo menos até cessar o motivo. Graças a Deus deu tudo certo e não é meu caso.

É bem engraçado como podemos descobrir que somos feitas de várias partes. Depois que virei mãe, eu descobri que ser mãe também faz parte da minha essência.

Portanto, no final, acho que várias mulheres são como eu, no fundo, gostam de seus vários papéis e não querem abrir mão de nenhum. A partir daí, nós passamos a dar o nosso melhor para manter todos os pratos girando, sempre.

De qualquer forma, volto tranquila, pois sei que meu filho estará em boas mãos e será muito bem cuidado.

Assim, todos ficam bem, felizes e eu posso ficar sossegada para equilibrar o meu prato profissional, enquanto os outros estão giram.

Beijos e até o próximo post...

Nota: Importante mencionar que as  mulheres que ficam em casa, cuidando da família, trabalham tanto quanto e, portanto, equiparam-se as que trabalham fora.  Acredito que seja muito mais cansativo até. Aqui não tem certo ou errado tem a escolha e a possibilidade de cada uma.

terça-feira, 7 de agosto de 2012

TOLERÂNCIA


Olá,

Pensando a respeito das competências (conhecimento, habilidade e atitude) que devemos ter para que possamos ser bem sucedidos nos relacionamentos (e quando digo relacionamento, eu estou me referindo a qualquer tipo), minha conclusão é que precisamos de várias. É, um conjunto delas (competências).

Só que, por alguma razão, neste momento, surgiu na minha mente a palavra tolerância. Talvez porque tolerância seja algo que já me faltou bastante e apenas com os anos e algumas experiências de vida, acabei desenvolvendo um pouco dela.

Vamos ao conceito da palavra:

A tolerância, do latim tolerare (sustentar, suportar), é um termo que define o grau de aceitação diante de um elemento contrário a uma regra moral, cultural, civil ou física.Do ponto de vista da sociedade, a tolerância define a capacidade de uma pessoa ou grupo social de aceitar, noutra pessoa ou grupo social, uma atitude diferente das que são anorma no seu próprio grupo. Numa concepção moderna é também a atitude pessoal e comunitária face a valores diferentes daqueles adotados pelo grupo de pertença original. http://pt.wikipedia.org/wiki/Toler%C3%A2ncia

Seja como for, eu percebi que sem tolerância, muita coisa não só não sai do lugar (nem acontecem) como vai “pro brejo”.



Dentro dessa linha, vejam só as 10(dez) razões que Jael Coaracy elenca para que se desenvolva a tolerância.


“Dez razões para desenvolver a tolerância:

1 @ - A tolerância é uma das competências emocionais fundamentais para se estabelecer e manter relacionamentos interpessoais saudáveis. Pessoas tolerantes se estressam menos e têm mais saúde e qualidade de vida.
2 @ - Não existe vida a dois feliz sem que os parceiros sejam tolerantes com o outro.
3 @ - Todos nós temos qualidades e limitações. Se quisermos ser aceitos com nossas dificuldades, precisamos ser tolerantes diante das limitações do outro.
4 @ - A tolerância consigo mesmo é uma ferramenta poderosa para se alcançar objetivos. Quem não tolera erros perde a oportunidade de aprender e crescer.
5 @ - Para desenvolver um talento e manifestar no mundo seu potencial, precisamos ser tolerantes e suportar os obstáculos que surgem pela frente.
6 @ - Ao exercitar a tolerância, fortalecemos o autocontrole. A capacidade de controlar nosso comportamento é uma das chaves do sucesso.
7 @ - Pessoas tolerantes evitam conflitos desgastantes e evitam que sua energia seja drenada por eles.
8 @ - A tolerância à frustração é fundamental. Quem não consegue lidar com expectativas que não se realizam sofre inutilmente.
9 @ - A intolerância prejudica a vida profissional e pode impedir a ascensão na carreira. Não importa o quão inteligente e capaz alguém é, se não for capaz de tolerar contrariedades, obstáculos, e as exigências no ambiente de trabalho.
10 @ - Vivemos conectados. Tudo o que alguém faz afeta o mundo em volta. Não temos o poder de mudar o mundo, mas ao mudar nossa atitude, contribuímos para fazer do planeta um lugar melhor.”

E para você? O que é essencial para se relacionar bem?

Beijos e até o próximo post...

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Você nasceu para que?

Olá,


Quanto mais conheço dos textos de Clarice percebo como ela era profunda. Fico maravilhada com tanta exatidão em suas palavras.


Ela escreve sentimentos e sensações como se estivesse dentro de nós. 


Escreve sobre ela e acaba escrevendo sobre todos nós, a Humanidade.


Apenas tenho a ousadia de dizer que nascemos para várias coisas, não exatamente três. 


Há uma infinidade de coisas para serem experimentadas e, então, concluídas se nascemos ou não para aquilo.  



Vejam mais um de seus textos:  


“Há três coisas para as quais eu nasci e para as quais eu dou minha vida. Nasci para amar os outros, nasci para escrever, e nasci para criar meus filhos. 
O ‘amar os outros’ é tão vasto que inclui até perdão para mim mesma, com o que sobra. 
As três coisas são tão importantes que minha vida é curta para tanto. Tenho que me apressar, o tempo urge. Não posso perder um minuto do tempo que faz minha vida. 
Amar os outros é a única salvação individual que conheço: ninguém estará perdido se der amor e às vezes receber amor em troca [...].”  
Clarice Lispector.


Beijos e até o próximo post...

sexta-feira, 13 de julho de 2012

05(cinco) minutos com Deus. O que você diria?

Olá,

Esses últimos 12 meses aconteceram tantas coisas na minha vida que confesso que em meus devaneios eu me imagino em algumas conversas com Deus. Algumas amistosas, outras nem tanto, mas todas muito questionadoras.

É bem interessante. Vamos de A a Z sobre os assuntos.

Imagine que, de fato, você possa estar frente a frente com o divino.  

Pense que ele concedeu um encontro cara a cara com você, mas de apenas 5 (cinco) minutos.

O que você diria? Qual seria seu diálogo com Deus?



Beijos e até o próximo post   

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Os homens são seres simples!



Olá,

Depois de ouvir tantas histórias de mulheres se iludindo, justificando o  “cara” e se justificando para não encerrar (ou encarar) algo (real ou imaginário) que possa existir, resolvi escrever essa postagem.

Vamos ao exemplo de muitos. Esses dias eu ouvi de uma colega que ela está interessada em um cara e que eles chegaram a sair. Mencionou que até houve beijos ao final do encontro, mas que depois disso, o cara se afastou (sumiu, melhor dizendo).

Justificativa dela (e dele) para o afastamento era que ambos tinham terminado (recentemente) relacionamentos sérios e de uma forma nada legal.

Ela chegou a me dizer que por ela ter várias coisas em comum com a ex do fulano e por ele ter sofrido muito, o distinto cavalheiro não queria se envolver com ela.

Penso que ela acredita nisso e arrisco a dizer que talvez ela tenha a intenção e a pretensão de fazê-lo mudar de opinião, conquistá-lo.

Só que a verdade sobre os homens é uma só, ELES SÃO SERES EXTREMAMENTE SIMPLES, até os mais complexos, por mais paradoxo que isso possa parecer.



Peço desculpa, pois sei que vou partir alguns corações com a minha opinião, mas penso que o homem quando quer você, quando quer se relacionar com você, nada, absolutamente nada, o impede de ir atrás de você, de estar com você, de conquistá-la e de se relacionar com você.

Não tem essa de:

  • Não quero casar de novo;
  • Não quero casar;
  • Não é o meu momento (pode até ser, mas se não é o momento dele, não é você na vida dele);
  • A amizade com você;
  • A distância;
  • A diferença de classe social;
  • Não existe tempo para pensar;
  • Não existe quem sabe no futuro;
  • E as desculpas infinitas dos casados?;
  • E tantas outras.


Quando o homem te deseja como a mulher que ele quer ao lado, nada vai impedir que ele tenha atitudes que confirmem isso. O homem, na verdade, caçador nato, não correria o risco de perder você para outro, alegando todo esse lero, lero...

Volto a dizer, os homens são simples na forma de sentir, pensar e de decidir as coisas. São tão simples que acabam sendo complicados para nós, mulheres, que somos complexas.

O fato é que quando a mulher quer se enganar ela só enxerga o que quer e sempre justifica o homem.

Então pergunto: O que e quanto está disposta a passar por esse cara? Será que vale tanto a pena? Garanto que em 99,9 % a conclusão é um sonoro NÃO!

Fica a dica.

Essa é a minha opinião. Qual é a sua? Deixe sua opinião e use o anonimato, caso prefira.

Beijos e até o próximo post

domingo, 8 de julho de 2012

Como eu gostaria que a morte fosse! MEU DIÁLOGO COM DEUS!


Olá,

Para aqueles que me conhecem e aqueles que são leitores do meu blog, não é novidade que descobri que estava grávida um dia antes do meu pai falecer!

Confesso que este fato me deixou “puta da vida” (se me permitem o trocadilho) com a Senhora Morte.

Fiquei de certo modo e até certo ponto “revoltada” com a situação (durante a gestação). Poxa, seria o primeiro neto do meu pai e ele se foi sem saber que seria avô, mas isso eu conto em outra postagem.

Voltando ao tema. Diante desses fatos passei horas, dias e meses pensando sobre a morte e sobre a vida.

Minha conclusão é que a morte é um processo cruel e injusto e digo isso, sem levar em conta qualquer tipo de religião e crença. É injusto ponto e acabou.

A morte sempre vem acompanhada de sofrimento, tanto da pessoa em si, como dos entes queridos.

Na maioria das vezes vem por consequência de uma doença ou de um acidente.

Pensem comigo, raras são as vezes que ouvimos (eu nunca ouvi) que fulano morreu como a Rose do filme TITANIC. É, num sopro de respiro, velhinha, quentinha, deitada em sua cama adorada, aos 97 anos, depois de desfrutar maravilhosamente da vida.

Por tudo isso e com todo respeito, eu juro que eu gostaria de marcar um encontro com o divino (sei que ele é um cara ocupado, então poderia ser um encontro de dez minutos) para tentar negociar com ele algo melhor, em se tratando da morte.


O que eu diria? Vamos lá ao meu diálogo com Deus:

“Muito obrigada por me atender. Sei que é bem ocupado, por isso vou direto ao ponto.
Com todo respeito por você e por seus métodos e estratégias de fazer as coisas, gostaria de deixar uma sugestão para mudar o processo da morte.
A morte não poderia ser uma viagem de trem?

Pensei que poderia ser assim, olha só! O Senhor determina o dia de partir, a pessoa faz uma festa para se despedir das pessoas amadas e queridas, depois vai para estação de trem, embarca e desembarca em outro plano que o Senhor determinar.

Lá a vida seria infinitamente melhor em todos os sentidos. Seria um plano mais evoluído.

Ainda para dar uma melhorada, o Senhor poderia deixar rolar pelo menos uma vez por ano, uma visita para nós aqui da terra.

Sabe como é, esse negócio de saudades, de nunca mais ver a pessoa, não conversar, não abraçar (pelo menos até eu morrer também e descobrir que realmente há vida pós a morte) é meio pesado divindade.

Também não acredito que criou seres tão inteligentes que só conseguem aprender por meio da dor e do sofrimento.

Bom, fica a sugestão. Pense com carinho a respeito.

Ah, sou super sua fã. Caramba... quanta coisa magnífica o Senhor criou em seis dias, hein?

Viu como a morte não combina com a sua criação?”


Beijos e até o próximo post...


sábado, 7 de julho de 2012

O simples que é complicado!

Olá,


um clássico caso onde o simples é complicado.


É tão mais fácil ser simples. Então, porque temos tanta dificuldade?






Beijos e até o próximo post
  




_________________________________________________________________________
Sabendo esperar

O guerreiro da luz precisa de tempo para si mesmo. E usa este tempo para o descanso, a contemplação, o contato com a alma do mundo. Mesmo no meio de um combate, ele consegue meditar.

Em algumas ocasiões o guerreiro senta-se, relaxa, e deixa que tudo que está acontecendo ao seu redor continue acontecendo. Olha tudo a sua volta como se fosse um espectador, não tenta crescer nem diminuir – apenas entregar-se sem resistência ao movimento da vida.

Aos poucos, tudo que parecia complicado começa a tornar-se simples. E o guerreiro se alegra.


(Paulo Coelho)


__________________________________________________________________________

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Nada é por acaso. Será???



Olá,

Fico me perguntando, às vezes, o porquê de algumas coisas.

Basicamente me pergunto por que algumas coisas acontecem de determinadas formas.


 E, então, ouvimos: 

  • Deus quis assim;
  • Tinha que ser assim;
  • Tudo tem uma razão de ser;
  • É para amadurecer e crescer;
  • Não temos o controle de nada; e
  • Tantas outras frases feitas.

Sinceramente, depois de queimar vários neurônios, acabo sendo mais prática do que isso.

O House disse uma vez em um de seus episódios: “COISAS BOAS E COISAS RUINS ACONTECEM SEM QUALQUER RAZÃO”.

Estou começando a concordar com o House. Tem coisas que não tem explicação e motivo para acontecer, seja de uma forma ou de outra.

É melhor pensar assim do que ficar a vida elucubrando possibilidades. 

Pensar assim faz você encerrar capítulos e virar a página para coisas novas.

E não é seguir em frente com fé que importa? Então, pouco importa o porquê das coisas.  

Beijos e até o próximo post

segunda-feira, 28 de maio de 2012

O passado e futuro em nossas vidas!


Olá,

Lendo o texto abaixo da nossa maravilhosa Clarice Lispector, eu fico me perguntando por que temos tantas saudades do passado e tanta ânsia pelo futuro? 
“Sinto saudades do presente, que não aproveitei de todo, lembrando do passado e apostando no futuro...”
Será que é porque não sabemos viver o presente? Mas só que o presente não é apenas o que temos?

A verdade é que o presente é tudo o que temos.



Agora vejam como Clarice transcreve tudo isso com perfeição. Segue o texto dela na íntegra. Tomei a liberdade de grifar as partes que gostei mais.

Beijos e até o próximo post



Saudades

Sinto saudades de tudo que marcou a minha vida.
Quando vejo retratos, quando sinto cheiros,
quando escuto uma voz, quando me lembro do passado,
eu sinto saudades...


Sinto saudades de amigos que nunca mais vi, de pessoas com quem não mais falei ou cruzei...
Sinto saudades da minha infância,do meu primeiro amor, do meu segundo, do terceiro,
do penúltimo e daqueles que ainda vou ter, se Deus quiser...


Sinto saudades do presente, que não aproveitei de todo, lembrando do passado e apostando no futuro...
Sinto saudades do futuro, que se idealizado, provavelmente não será do jeito que eu penso que vai ser...
Sinto saudades de quem me deixou e de quem eu deixei!


De quem disse que viria
e nem apareceu;
de quem apareceu correndo,
sem me conhecer direito,
de quem nunca vou ter a oportunidade de conhecer.


Sinto saudades dos que se foram e de quem não me despedi direito!
Daqueles que não tiveram como me dizer adeus;de gente que passou na calçada contrária da minha vida
e que só enxerguei de vislumbre!


Sinto saudades de coisas que tive
e de outras que não tive
mas quis muito ter!


Sinto saudades de coisas
que nem sei se existiram.


Sinto saudades de coisas sérias,
de coisas hilariantes,
de casos, de experiências...


Sinto saudades do cachorrinho que eu tive um dia e que me amava fielmente, como só os cães são capazes de fazer!

Sinto saudades dos livros que li e que me fizeram viajar!
Sinto saudades dos discos que ouvi e que me fizeram sonhar,
Sinto saudades das coisas que vivi
e das que deixei passar,
sem curtir na totalidade.


Quantas vezes tenho vontade de encontrar não sei o que... não sei onde... para resgatar alguma coisa que nem sei o que é e nem onde perdi...


Vejo o mundo girando e penso que poderia estar sentindo saudades
Em japonês, em russo,
em italiano, em inglês...
mas que minha saudade,
por eu ter nascido no Brasil,
só fala português, embora, lá no fundo, possa ser poliglota.
Aliás, dizem que costuma-se usar sempre a língua pátria,
espontaneamente quando
estamos desesperados...
para contar dinheiro... fazer amor...
declarar sentimentos fortes...
seja lá em que lugar do mundo estejamos.


Eu acredito que um simples
"I miss you"
ou seja lá
como possamos traduzir saudade em outra língua,
nunca terá a mesma força e significado da nossa palavrinha.
Talvez não exprima corretamente
a imensa falta
que sentimos de coisas
ou pessoas queridas.


E é por isso que eu tenho mais saudades...
Porque encontrei uma palavra
para usar todas as vezes
em que sinto este aperto no peito,
meio nostálgico, meio gostoso,
mas que funciona melhor
do que um sinal vital
quando se quer falar de vida
e de sentimentos.


Ela é a prova inequívoca
de que somos sensíveis!
De que amamos muito
o que tivemos
e lamentamos as coisas boas
que perdemos ao longo da nossa existência...


domingo, 20 de maio de 2012

O dia em que minha bolsa estourou e a prematuridade do meu BB – PARTE I – NO SÚBITO.




Olá pessoal!

Quanto tempo eu não escrevo, hein?
Bom, não vou negar que pensar a respeito e, principalmente, escrever sobre isso, já seja algo fácil para mim, mas vamos lá, afinal esse é o propósito deste blog.
O blog tem a finalidade de compartilhar com vocês (os leitores), acontecimentos, sentimentos, angústias, histórias, temas, felicidades, tristezas, dentre outros.
É com muita prosa que faço este blog, com todos os tipos de prosas, nem sempre com risos, mas garanto que na grande maioria das vezes com risos sim.
Vamos aos fatos. Foi no dia 08 de março de 2012, eu lembro bem, uma quinta-feira (que por sinal eu completava 34(trinta e quatro) semanas de gestação), que minha bolsa estourou prematuramente, isto é, antes do tempo.


Tirando que era dia internacional da mulher, aquela quinta-feira me parecia normal como qualquer outro dia. Acordei bem, não me senti mal durante a noite anterior, nem durante a parte da manhã, não tive cólica, não tive contrações e, portanto, fui trabalhar.
Eu vou além, em 06 de março de 2012, na terça-feira da mesma semana, eu fiz um ultrassom no Centro de Medicina Fetal, um dos melhores laboratórios, inclusive especializado e estava tudo normal.
Minha gravidez estava correndo bem, o Lorenzo estava com 2 (dois) kilos e 43 (quarenta e três) centímetros (peso e medida normal para o tempo de gestação, pelo menos pelo último ultrassom).
Só para situar vocês, um BB nasce dentro do tempo correto de gestação quando ele nasce a partir da 38 (trigésima oitava) semana de gestação. É o que eles denominam de BB a termo. Logo, os que nascem antes disso são considerados prematuros.
Bom, mas continuando. Quem leu o meu texto aqui no blog “A arte de espirrar e tossir sem fazer xixi – Pérolas da gestação” sabe que durante a gravidez eu tive alguns episódios de escapar xixi, por conta da pressão que o útero faz na bexiga, o que é absolutamente normal.
Naquela quinta-feira de manhã, por volta das 11h00, lembro como se fosse hoje, eu estava sentada em frente ao meu computador trabalhando e senti que tinha feito um pouco de xixi (pelo menos é o que eu pensei na hora).
Cheguei a pensar: Nossa, mas não fiz esforço, não espirrei, não tossi, não dei risada, do nada saiu?
Também me recordo que sai da mesa meio que correndo até o banheiro e o xixi não parava de descer. Constrangedor para mim, embora ninguém ao redor tivesse notado.
Como estava tudo em ordem (só na minha cabeça) fui almoçar com a minha amiga Priscila Chagas (que tem um BB de cinco meses) no Súbito da Avenida Paulista.
Cheguei a comentar com ela que achava que teria sérios problemas com a bexiga depois da gestação e contei que teria que voltar para casa e trocar de roupa (a calça estava um pouco molhada), mas tudo isso rindo.
Assim, eis que eu estava comendo minha deliciosa salada (a minha preferida) e senti o xixi descer de novo, só que muito, muito mesmo, ao ponto de mesmo me contraindo toda, (afinal estava numa cadeira de restaurante), o xixi não parava de sair.
Lembro-me de dizer para ela (rindo): Pelo amor de Deus pega a chave do banheiro do Súbito para mim. Ela mais do que rápido, largou a comida e a BB comigo na mesa e pegou.
Para vocês terem uma ideia eu não consegui ir até o banheiro do Súbito sem colocar a mão no meio das pernas (puro desespero), na tentativa de segurar o xixi e mesmo assim não parava. Que cena (risos...agora, claro)!
Nessa altura eu estava todinha molhada, a calça ensopada. Quando voltei para mesa, minha amiga que teve a experiência da bolsa estourar (dentro do normal) me disse com a maior calma (com certeza para não me desesperar) que ela achava melhor ir ao pronto socorro, mesmo ela achando que não era nada, mas por excesso de zelo.
Partimos então para a Pró-Matre. Dentro do táxi ela me disse: Rô, eu acho que a sua bolsa estourou. Eu respondi: Não é possível, fiz um ultrassom terça e está tudo certo, tudo bem.

Chegando lá no hospital (essa altura chorando, pois no fundo eu sabia que tinha algo de errado) eu tive o diagnóstico que me levaria ao desespero (até por falta de conhecimento acerca da questão da prematuridade), minha bolsa tinha rompido antes do tempo, ou seja, meu quadro era de bolsa rota (é assim que denominam).


E o xixi? Não era xixi e sim o líquido amniótico escorrendo...
Depois fiquei pensando que nada é por acaso, pois eu estava com a Priscila Chagas, minha amiga que teve BB há pouco tempo e se não fosse ela acho que minha ficha não teria caído e eu não teria ido ao hospital com tanta rapidez, talvez por desconhecimento meu (não tinha lido nada sobre), talvez por negação (não queria pensar que algo tinha dado errado ou pelo menos estava fora do planejado).
De qualquer forma, é o Senhor Acaso na minha vida, ele que sempre me protege e é daí que vem minha frase “O ACASO ME PROTEGE SEMPRE” e é a mais pura verdade.
Como continuou a história? Eu conto nas próximas postagens.
Beijos e até...

domingo, 26 de fevereiro de 2012

No meu divã - Me apaixonei por outra, mas sou CASADO!

Olá,

Lembra que eu disse que um homem me escreveu dizendo que estava apaixonado por outra mulher, mesmo sendo casado?

Então, nossa conversa foi mais ou menos assim:


Ele: Eu vou confessar algo que ninguém sabe. Porém, você merece saber por ser a dona do prosas e risos. Fiz um poema para uma mulher de 25 anos que saía comigo. Só que sou casado. É melhor deixar para lá, né?

Eu: Complicado, né? Traição correto não é, né? Ouvi do Senhor meu noivo o seguinte uma vez e achei muito válido: NUNCA TRAIA UMA MULHER QUE NÃO ESTEJA PREPARADO PARA PERDER!
Veja, se ama sua mulher e sua família, o sensato é nem começar.

Ele: Concordo, porém quando se apresenta essas coisas é preciso ter força e estrutura para resistir à tentação.
E concordo também com o que o seu noivo disse, é a pura verdade.

Eu: Pense bem. Boa Sorte.



Bom, primeiro de tudo. Vamos tentar sempre não julgar.

Agora, reforço a minha opinião a respeito de traição. A fidelidade é opcional. Digo isso porque pessoas atraentes e interessantes todo mundo vai conhecer a vida toda.

Só que quando se tem alguém, você escolhe todos os dias estar com essa pessoa ao lado. É com ela que você constrói e divide uma vida. É ela que você ama. Tem ou pretende ter uma família.

Outro fato verdadeiro é que relacionamento é cíclico, sempre terão altos e baixos. Então, sempre deve ser avaliado o todo, nunca uma fase isolada.

Sem contar que muita coisa é ilusão, as pessoas tendem a achar que com outra pessoa tudo seria diferente. Eu diria que sim, a diferença é que com outra pessoa você terá outros problemas, simples.

Então, leve em conta o todo, o amor, o respeito, a cumplicidade, a troca, dentre as infinitas coisas que você tem em seu relacionamento, antes de cair em uma tentação.

Agora, vale também uma avaliação sincera sua. Deixou de amar a pessoa? Não está feliz? Caso qualquer das respostas tenha sido positiva, é mais honesto com você e com a pessoa, rever ou terminar o relacionamento.

Afinal, a pior traição é negar a si mesmo.


Beijos e até o próximo post...

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

No meu divã – Use o anonimato e compartilhe experiências no meu blog.

Olá,

Inspirada em 02(comentários) em algumas das minhas postagens, resolvi criar esse quadro no blog.

Cheguei à conclusão de que aqui pode ser um espaço para as pessoas abrirem o coração, desabafar, pedir conselhos, dividir uma angústia, enfim...

Não sou terapeuta e nem tenho a pretensão de ser aqui neste quadro. Apenas pensei que às vezes, no anonimato e, talvez, com uma pessoa estranha, possa ser mais fácil dividir um problema, por exemplo.

Não vou ter todas as respostas, como disse nem tenho essa pretensão, mas podemos trocar idéias, um bate papo mesmo.

Vejam esse quadro não nasceu da minha mente fértil, mas sim de uma necessidade que senti das pessoas, em quase um ano e meio de blog.

Bom, tudo começou com um homem que me escreveu dizendo: Sou casado há 20(vinte) anos e estou apaixonado por outra mulher de 25 (vinte e cinco) anos. Não sei o que fazer.

É isso mesmo. A história toda e o que respondi vocês vão ler aqui na próxima postagem deste quadro.

Até aí eu pensei, tudo bem, um caso em mil, até que uma mulher me escreveu, também no anonimato, contando que terminou seu casamento de 15 anos, pois descobriu que estava sendo traída pelo marido com outro homem. Senti a angustia e a mágoa dela em cada palavra escrita.



Então pensei...se eu puder dizer uma palavra de conforto, dar uma sugestão para ajudar as pessoas que me procuram, porque não?

Assim, abro esse espaço para quem quiser compartilhar algo e trocar uma idéia.

Usem a opção anônimo para escrever seus comentários no blog. É seguro, nem eu dona do blog tenho como saber quem é.



Beijos e até o próximo post...
  

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

William Shakespeare - SONETO 17


Se te comparo a um dia de verão
És por certo mais belo e mais ameno
O vento espalha as folhas pelo chão
E o tempo do verão é bem pequeno.

Ás vezes brilha o Sol em demasia
Outras vezes desmaia com frieza;
O que é belo declina num só dia,
Na terna mutação da natureza.

Mas em ti o verão será eterno,
E a beleza que tens não perderás;
Nem chegarás da morte ao triste inverno:

Nestas linhas com o tempo crescerás.
E enquanto nesta terra houver um ser,
Meus versos vivos te farão viver.
William Shakespeare


sábado, 21 de janeiro de 2012

A arte de espirrar e tossir sem fazer xixi – Pérolas da Gestação!!!

Olá, 

Quando abri o quadro “DIÁRIO DE UMA GRÁVIDA IRREVERENTE” foi com a intenção de contar um ladinho da gestação que quase ninguém conta. É, um ladinho estranho, complicado e às vezes constrangedor. Ah... E, claro, muitas vezes engraçado.

É meus amigos e leitores, vocês não leram errado não, o título está certo! 




Como sempre digo, a gestação é algo simplesmente sublime na vida de uma mulher. Uma experiência única e especial.

Só que...Rá...nem conto para vocês cada pérola que acompanha a mulher nesses noves meses.

Aliás, conto sim, afinal foi para isso que fiz esse quadro.

Vejam, a pérola mais hilária é a incontinência urinária na gestação.
"Você vai perceber que durante a gravidez as suas idas ao banheiro para fazer xixi vão aumentar, principalmente no fim da gestação, quando o útero está mais dilatado e o peso do bebê comprime a bexiga. Isso faz com que ela consiga armazenar menos líquido e, às vezes, a urina pode vazar se você fizer algum esforço mais forte ou inesperado, como espirrar ou tossir. Esse vazamento é chamado de incontinência. http://revistacrescer.globo.com/Revista/Crescer/0,,EMI14926-10571,00.html"

Que situação (risos)!

Claro que estamos falando de pouquíssimas quantidades e raras às vezes.

Bem, no começo, para as desavisadas como eu, isso pega de surpresa. Vale dizer que isso é no sexto mês em diante.

Só que depois de um tempinho você fica PHD em tossir e espirrar sem fazer um xixizinho básico (risos).

Depois você até desenvolve uma técnica para evitar isso.

Vou contar a minha!

Basicamente você pressiona a musculatura (se é que me entendem) e prende o ar. Pronto, agora pode tossir e espirrar que nada acontecerá. (risos)

É como se fosse prender o ar para dar um mergulho, CAPICE??? (risos)...Entendeu...?

Agora...como é maravilhoso estar grávida e ser mãe...



Beijos e até o próximo post...



terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Passar, mas nunca ultrapassar.


“Um guerreiro da Luz nota que certos momentos se repetem. Com freqüência se vê diante dos mesmos problemas e situações que já havia enfrentado.

Então fica deprimido. Começa a pensar que é incapaz de progredir na vida, já que os momentos difíceis estão de volta.

“Já passei por isso”, ele reclama com seu coração.

“Realmente, você já passou”, responde o coração. “Mas nunca ultrapassou”.

O guerreiro então compreende que as experiências repetidas têm uma única finalidade: ensinar-lhe o que ainda não aprendeu.

Ele passa a procurar uma solução diferente para cada luta repetida – até que encontra a maneira de vencê-la.” (Paulo Coelho)