segunda-feira, 20 de junho de 2011

Em ti, o verão será eterno - Soneto 17 - William Shakespeare

Olá, 

Boa Noite.

Willian Shakespeare é sensacional, não acham?


______________________________________________________________

Se te comparo a um dia de verão
És por certo mais belo e mais ameno
O vento espalha as folhas pelo chão
E o tempo do verão é bem pequeno.

Ás vezes brilha o Sol em demasia
Outras vezes desmaia com frieza;
O que é belo declina num só dia,
Na terna mutação da natureza.

Mas em ti o verão será eterno,
E a beleza que tens não perderás;
Nem chegarás da morte ao triste inverno:

Nestas linhas com o tempo crescerás.
E enquanto nesta terra houver um ser,
Meus versos vivos te farão viver.


___________________________________________________________

Beijos e até o próximo post

3 comentários:

  1. Sempre que leio um poema de outra língua, penso no trabalho do tradutor. Não deve ser fácil passar a ideia do autor em outras palavras, ainda mais nos versos. É uma arte dentro da arte!

    Bjs Rô!

    ResponderExcluir
  2. Verdade...

    Beijos pra você também meu amigo.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Ro! Fazia um tempao que nao passava por aqui. Adorei as mudancas na pagina e tb fiquei superfeliz em saber que vc esta' FELIZ! Beijos.

    ResponderExcluir